29 outubro 2010

Keiji Inafume, criador de Mega Man, se cansou de não fazer nada na Capcom


O sonho de todo trabalhador é subir de cargo na empresa em que trabalha, subir até chegar na cadeira mais alta da companhia e lá de cima poder observar os meros mortais que se matam de trabalhar, certo? Bem, não para Keiji Inafume, criador de Mega Man, que atualmente ocupava o cargo de Supervisor Global, simplesmente o mais alto da Capcom.

Em uma recente entrevista, Inafume já havia dado sinais de sua insatisfação com o cargo, dizendo que muitos criadores de Dead Rising estavam ganhando um salário satisfatório e tendo um trabalho mais prazeroso que o dele. Pois bem, desta vez ele deu o veredito final em seu blog: "estou deixando a Capcom".

Veja abaixo na íntegra a declaração de Inafume:

"Comecei a fazer jogos na Capcom há 23 anos. Entrei para fazer design de personagens e, quando percebi, 23 anos se passaram.Como criador, cheguei ao topo da Capcom. Não há mais para onde subir. Ficar numa cadeira e tornar líder desta indústria poderia ser bom para mim, mas eu não consigo.

Ter a vida ganha significa a morte como criador. Se você quer ser um criador não pode querer a boa vida. O cineasta Akira Kurosawa, por quem tenho grande admiração, fez filmes até a hora de sua morte. É um criador que o mundo inteiro reconhece. Não digo que quero fazer jogos até morrer. Mas agora, quero continuar a fazer jogos. Nem penso em encostar meu burro.

A Capcom é uma grande empresa. Sério. Sem falsidade, eu amo a Capcom mais que tudo no mundo. Mas nem sempre as paixões são correspondidas, assim como uma namorada antiga que eu amava muito. Se é unilateral de minha parte, não tem saída. Havia chance de ainda continuar sendo uma força para a Capcom, até o fim apostei nesta chance. De um jeito de que tanto ela como eu pudessemos ser felizes.

Talvez tenha sido possível. Mas, agora, essa chance não existe mais. Provavelmente, não deve haver nada que a Capcom e Inafune possam fazer juntos. A Capcom deve continuar a seguir sem mim, e eu não posso mais contar com a Capcom. Andamos juntos por 23 anos, mas a despedida foi sem traumas. O trabalho e a vida têm um grande laço. Para um homem, o trabalho é como a vida. Estou deixando a Capcom com a intenção de recomeçar minha vida. Pois aí vejo degraus para subir.

Não vou tirar folga, mas subir passo a passo essa escada. Esse estilo de vida, de subir degraus, combina mais comigo. Quem me conhece vai me apoiar, certo? Inafune não é um cara normal; está mais para um pervertido. Vou lutar com todas as minhas forças.

Obrigado por tudo."


Exemplos como o de Inafume devem ser seguidos, afinal são provas vivas de que se pode valorizar outras coisas na vida, além de dinheiro e poder.
ATENÇÃO: Os comentários postados no Portal Celebrinando são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Pesquise

Custom Search

Veja também...